Imagem capa - Papo com especialista | 12 dicas para manter o equilíbrio emocional durante a pandemia por Julie Campanholi
Papo com Especialista

Papo com especialista | 12 dicas para manter o equilíbrio emocional durante a pandemia


É impossível viver como se tudo estivesse normal, quando de fato não está. Além do sofrimento direto que a própria doença causa nas vítimas e em seus entes queridos, a pandemia trouxe a necessidade de mudanças radicais no modo em que vivemos, impactando toda a população mundial. 

Está tudo bem ter medo, tristeza e preocupação. Faz parte do processo sentir empatia por quem sofre, e auto responsabilidade por tudo que nos trouxe até aqui. Mas é preciso, por mais que seja difícil, encontrar certo equilíbrio para que essa fase te deixe mais forte, e te faça uma pessoa melhor. 

É por isso que o Papo com Especialista desta semana conta com a participação da Psicóloga Fernanda Migliaccio. A conversa teve dois focos:

- Atitudes no dia a dia que podemos ter para amenizar os sintomas psicológicos que esse período pode nos causar;

- Como fazemos para identificar se precisamos da ajuda de um psicólogo. 

Leia com atenção, coloque em prática as dicas e caso perceba que precisa do auxílio de um especialista entre em contato com a Fernanda.


Como lidar melhor com esse período de restrições

A Dra. Fernanda listou para nós algumas dicas práticas que podemos assumir em nosso dia a dia para dar menos espaço para a ansiedade e descompensação emocional. 


1 - Tente manter horários fixos para o sono

Essa rotina de sono ajuda o organismo a produzir a melatonina, hormônio do sono, sempre no mesmo horário. 


2 - Estabeleça uma rotina possível

Não encha a agenda de tarefas que não serão cumpridas no final do dia, isso gerará mais ansiedade. E isso vale tanto para as crianças quanto para os adultos.


3 - Liste o que é prioridade

Você não precisa dar conta de tudo. Afinal, a sobrecarga já está alta.  Listar as prioridades fará com que os filhos aprendam a medir o grau de prioridade de suas tarefas domésticas e escolares também.


4 - Não se culpe pelo o que não consegue fazer

Se mesmo tomando todos os cuidados para não sobrecarregar a agenda, algo ficar de fora, não se cobre por isso. Seja gentil consigo mesma (o). 


5 - Ligue ou faça chamada de vídeo para amigos e familiares

Nós estamos em distanciamento social mas isso não significa que precise deixar de ter contato social. 


6 - Lembre das pequenas felicidades

Faça algo que faça você se sentir bem, mesmo que em um curto período de tempo.


7 - Não seja tão exigente sobre as regras que antes funcionavam

A realidade é outra, as demandas são outras e é natural que as regras tenham que ser modificadas ou recriadas. 


8 - Tente fazer algum tipo de exercício físico

Exercício ajuda nos sintomas de ansiedade e depressão e induz a sensação de bem estar.


9 - Não fique atrás de notícias sobre o Covid-19 muito tempo

Se programe para saber o que acontece apenas em um horário do dia.


10 - Peça ajuda

Se tiver com dificuldades em passar as lições da escola para as crianças conversem com os professores. A escola costuma ser flexível nestas situações. 


11 - Tente enxergar o que de bom a quarentena te trouxe

Mais tempo com a família, oportunidades de se reinventar na carreira, diversificar seu negócio, etc. Mais cuidado com a saúde. Mais proximidade da educação dos filhos.


12 - Tente realizar algo que você queria há muito tempo e não tinha espaço na agenda

Aproveite o ócio, se for o seu caso, para tirar projetos da gaveta. 


Como saber se preciso da ajuda de um psicólogo

Como dissemos no início do artigo, está tudo bem sentir medo e se preocupar. Porém, a descompensação da ansiedade pode trazer sintomas físicos o qual necessitam de um atendimento psicológico e em determinados casos também de um psiquiatra. Por isso, fique atento aos seguintes sintomas:


Sintomas físicos da ansiedade:

Respiração ofegante e falta de ar

Palpitações e dores no peito

Fala acelerada

Sensação de tremor e vontade de roer as unhas

Agitação de pernas e braços

Tensão muscular

Tontura e sensação de desmaio

Enjoo e vômitos

Irritabilidade

Enxaquecas

Boca seca e hipersensibilidade de paladar

Insônia


Sintomas psicológicos da ansiedade:

Preocupação excessiva

Dificuldade de concentração

Nervosismo

Medo constante

Sensação de que pode-se perder o controle ou que algo ruim vai acontecer

Desequilíbrio dos pensamentos


Caso você esteja sofrendo com alguns desses sintomas, procure ajuda de um psicólogo.

E lembre-se: a terapia pode ser feita online, sem sair de casa. Então não existe desculpas para não cuidar da saúde mental, hein!